EBC veicula nota crítica ao 'JN' após ser chamada de empresa de comunicação do governo federal | TVSANTACRUZ.com Para Smart TV, PC e Mobiles

Em nota publicada pela “Ouvidoria da EBC’, a Empresa Brasil de Comunicação rebateu a Rede Globo após ter sido citada em reportagem sobre a determinação judicial que contrariou a decisão do presidente interino, Michel Temer, e reconduziu Ricardo Melo à ...

publicidade, anunciar, tv, online, tv, via, internet, propaganda, marketing, digital, mídia, online, mídia, digital, tv, modacenter, dispositivos, móveis, smart, tv, computador, pc, smartphone, celular, notebook, provider, devices, móbiles, tablets, rois

EBC veicula nota crítica ao 'JN' após ser chamada de empresa de comunicação do governo federal

Publicado por: tvsc
08/06/2016 10:43:02

Em nota publicada pela “Ouvidoria da EBC’, a Empresa Brasil de Comunicação rebateu a Rede Globo após ter sido citada em reportagem sobre a determinação judicial que contrariou a decisão do presidente interino, Michel Temer, e reconduziu Ricardo Melo à presidência da instituição na última quinta-feira, 2.

 

ebc-veicula-nota-critica-ao-jn-apos-ser-chamada-de-empresa-de-comunicacao-do-governo-federal
TV Brasil é um dos veículos geridos pela EBC



De acordo com o texto, assinado pela ouvidora Joseti Marques, “talvez até mesmo o apresentador do telejornal tenha se referido à empresa pela primeira vez, assim como o editor que redigiu a nota”. No ar, Willian Bonner disse que a EBC é a “empresa de comunicação do governo federal”.

 

A colocação incomodou a profissional, que esclareceu que a EBC é “a face pública e mais recente do sistema de comunicação do país” e elencou seus diversos deveres, diferentemente da comunicação privada e da estatal: “fomentar a construção da cidadania, a consolidação da democracia e a participação na sociedade, garantindo o direito à informação, à livre expressão do pensamento, à criação e à comunicação”.

 

Criada em 2007 para gerir os veículos do sistema público, como emissoras de rádio e televisão públicas, a radioagência e a agência de notícias, a EBC. De acordo com a ouvidora, a mídia tradicional refere-se a quanto custa manter a plataforma aos cofres da União, mas ignora o importante papel de levar informação “aos mais distantes lugares do Brasil, onde à mídia privada não interessa ir”.

 

“Para que a comunicação pública se consolide, é preciso que a sociedade a reconheça como um direito que não se troca por controle remoto. Mas enquanto a emissora líder de audiência descrever a EBC como ‘empresa de comunicação do governo federal’”, o público poderá se ver tentado a jogar fora a criança com a água suja da bacia”, finaliza Joseti.

 

Fonte: COMUNIQUE-SE


Comentários